13 de dez de 2009

Quem é vivo sempre envelhece

Outro dia um amigo me fez lembrar de um episódio da adolescência. Uma catástrofe na minha, até então, curta vida. Após inúmeros testes, não fui escolhida para ingressar na escola de teatro mais cobiçada do país. Que dor! Tive a nítida sensação que minha existência, se não findada ali mesmo, seria afetada pelo episódio para o resto dos meus dias.

E a desilusão do primeiro amor? A constante luta para ser aceita pelos amigos, as brigas com os pais, as aulas da auto-escola? A gravidade da juventude, apesar da deliciosa cara de pêssego e coxas firmes, parecia demasiada.

Como é bom ter sobrevivido a tudo isso e poder rir dos fatos. Os ossos se tornaram mais porosos e as dores musculares constantes. Mas o peso dos anos de certa forma compensa. Principalmente quando se pode virar para o passado e sentir um riso que se desprende da barriga, sobe pelo esôfago como uma bolha de sabão e pipoca nos lábios.  As rugas que se formam ao redor da boca, nesse caso, são muito bem vindas.

6 comentários:

  1. Que lindo ver você tão jovem ainda e com tanta delicadeza acusar o passar dos anos que, se traz rugas, traz também mais sensibilidade.

    ResponderExcluir
  2. Bom, ainda custo a acreditar que encontrei o seu blog;
    Li seu livro ( Depois Daquela Viagem ) e me tornei sua fã.
    Parabéns pelo talento de escrever tão bem e pela sensibilidade em tratar de um assunto que ainda hoje traz dor a muitas pessoas.
    Não posso deixar de bajular a uma pessoa que ganhou a minha admiração como você.
    Parabéns pela sua força e sua garra.
    Deus te ilumine sempre,
    Beijos de uma grande fã sua, Suelen Bianchini.

    ResponderExcluir
  3. Bom, vamos começar sem fanatimos, mas não tem como, sou sua fã, eu tive dois casos de AIDS na minha família, quando eu ainda nem sabia o significado desse vírus e quando esse assunto ainda era um tabu aqui,li seu livro DEPOIS DAQUELA VIAGEM com 11 anos, 2 anos depois de ter perdido meu avô e 1 ano antes de perder a minha avó e foi o que você escreveu que me ajudou muito, e depois disso já li seu livro mais 2 vezes e o indiquei a vários amigos, sem contar com a coluna da ATREVIDA que eu lia sempre ! Beijos Fabiana Macedo

    ResponderExcluir
  4. É, poder olhar pra trás, rever ocasiões que há muito nos incomodaram e que hoje podem nos fazer rir é dádiva só dos que ultrapassam o tempo, que podem sentir o peso dos anos fortalecerem suas atitudes.

    Valeu por dividir essas impressões conosco!

    beijos...

    ResponderExcluir
  5. Que máximo achar seu blog!!!!!!! Quando li seu livro eu era tão novinha e fiquei tão impressionada com tudo que li, que me fez realmente dar importância a determinados métodos de prevenção de DST (eu ainda não tinha tido minha primeira relação) e principalmente a ter uma visão super diferente e desprovida de qualquer preconceito, em relação à pessoas possuidoras do vírus HIV. Parabéns e obrigada!!! Feliz 2010, 2011, 12, 13...

    ResponderExcluir
  6. -Mais uma fã aqui!
    Gosto e admiro pessoas como você.Que encaram a vida de frente sem precisar fantasiar demais a realidade,gosto de pessoas que lutam,que não desistem da vida,que acima de tudo VIVEM,e fazem com que a vida valha a pena.
    Realmente,quem é vivo sempre envelhece,mas há aqueles que envelhecem com categoria,outros apenas envelhecem...
    Eu quero envelhecer como você,COM CATEGORIA!(rsrs)

    ResponderExcluir