24 de ago de 2011

O "Depois daquela viagem" virou peça de teatro!

Demorou mas agora vai! A peça do “Depois daquela viagem” estreia em São Paulo no dia 5 de Outubro no SESC Consolação.


Produção e elenco se reunem para almoço

Há uns dez anos o jornalista e crítico de teatro infantil, Dib Carneiro Neto, me procurou dizendo que tinha adaptado o meu livro para o teatro. Dib estava então iniciando sua carreira de dramaturgo, aquele era o segundo texto que ele adaptava.

Li e gostei muito. Dib é um “adaptador” sensível. Conversamos, trocamos ideias, ele entendendo as minhas, eu as dele. O texto da peça ficou redondinho, só faltava ser montada.

Enquanto isso a carreira do “meu adaptador” seguiu promissora. O jornalista, que agora era editor do Caderno 2 do Estadão teve sua primeira peça encenada em 2005. “Adivinhe quem vem para rezar” foi um sucesso com Paulo Autran e Cláudio Fontana no elenco e direção de Elias Andreato.

Em 2008 Dib recebeu o prêmio Shell de Melhor Autor pela peça “Salmo 91”, uma adaptação do livro "Estação Carandiru", de Drauzio Varella. Em 2009, a pedido do diretor Gabriel Villela, traduziu a peça "Calígula", de Albert Camus, montada com grande sucesso nacional. E neste ano estreou sua adaptação para o cultuado romance da literatura brasileira, “Crônica da Casa Assassinada”, de Lúcio Cardoso.

E o “Depois daquela vagem”?! Bem, continuava fermentando na gaveta. E nós dois nos falando de tempos em tempos tentando articular uma produção. Em 2006 houve uma leitura dramática do texto com direção de Graziella Maretto em São Paulo e com direção de Jayme Periard no Rio de Janeiro.

Abigail, Dib e Roseli. Trio afinado.

Mas foi só mesmo no ano passado que um grupo coeso começou a se juntar e a ganhar forma. A jornalista e produtora Roseli Tardelli encabeça a produção. Conheço Roseli, editora executiva da Agência de Notícias da Aids, desde a época do lançamento do meu livro. Participamos juntas de seminários, mesas redondas, congressos. Em 2009 fui repórter da Agência e dividimos o palco com adolescentes que nasceram com o HIV no ciclo de palestras do SENAC: “O Olhar do Jovem Sobre a Aids: Liberdade, Prevenção e Responsabilidade”. Sei, então, da seriedade com que ela trata do tema.

Roseli convidou as gêmeas Abigail Wimer e Alcione Alves para a direção do espetáculo. Mas é claro que antes elas tinham que passar pela minha aprovação. E não é que foi amor à segunda vista? Eu conhecia aquelas “corujinhas” da minha infância.

As gêmeas e mais três irmãos - a família coruja tem muitos artistas - formavam um grupo musical e de teatro infantil, “Os Corujinhas”, que encantaram crianças nas décadas de 70 e 80. Inclusive eu, que tinha até o LP deles!


Eles eram fofos!

A Alcione (ou será que era a Abigail? ainda confundo essas gêmeas) foi assistir uma de minhas palestras. E trouxe outra irmã corujinha, a Silen de Castro, que é assistente de direção. As duas ficaram ligadas nas perguntas da garotada. “O que eles querem saber? O que vamos discutir ao encenar essa peça? O que anda passando pela cabeça dessa meninada?”

A produção escolheu o elenco por meio de testes. Fui na primeira rodada e fiquei sentada quietinha na platéia para não atrapalhar. Mas atenta a tudo. Concordamos quanto ao perfil dos atores: jovens e talentosos!!! E no dia seguinte peguei o avião para a Áustria, tranquila, pois sabia que eles escolheriam muito bem.

Desde então já se foram uns meses de ensaio e o elenco de 14 atores está afinadíssimo. E eu acompanhando tudo por e-mail, facebook, blogs. Morrendo de vontade de conhecê-los. Mas me segurando, pois acho importante agora no começo deixá-los à vontade. Acho que o grupo precisa de espaço pra criar, sem o “fantasma da Valéria viva” dando muito palpite.


O elenco da peça. Quem vai ser quem?

Dia 12 de setembro volto ao Brasil e aí sim darei minhas sugestões. Enquanto isso sigo tudo pelo Blog que o pessoal da produção criou o "Depois daquela viagem - A peça de teatro" . Acompanhem vocês também e deixem lá suas mensagens.

E nos encontramos no SESC a partir o dia 5 de Outubro. Sucesso para todos nós!


Fotos do grupo de João Caldas

23 comentários:

  1. Que maravilha, meu bem! Fiquei muito feliz. Agora todos terão o prazer imenso de conhecer a sua história. E hajam lágrimas... Valéria, te admiro tanto, tanto... Você é uma guerreira, garota. Tem chance dessa peça percorrer o Brasil ou só terá apresentações em São Paulo? Vem pro Recife, vem!
    Um beijo e abraços. Te amo. =D
    Ah, passa lá no meu Blog? Se puder, deixa um coments, por favor. www.wandeilsonlucena.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhhhhhhhhhhhhh Valeria por favor quero saber tudinho, vou do Rio para Sampa assisti-la. Menina, nao paro de ler esse livro, voce faz parte da minha vontade de viver e embora historias sejam diferentes, me inspirei em voce, para escrever a cura do cancer plo poder da fe. Happy Birthday to You!!!! Bjusssssssssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  3. Desde o dia em que fui fazer o teste para a peça até hoje, vi quanta coisa se concretizou. E tive mais que certeza que nada acontece por acaso. Fico mais que feliz de fazer parte dessa história que já faz parte da minha. Bjoo
    Eliot

    ResponderExcluir
  4. AHHH! não acredito ! eu cheguei a dar um grito de verdade aqui quando li essa noticia. E sem duvida vou ver!
    muito sucesso para a peça !!! *--*

    ResponderExcluir
  5. Valéria
    Vou contar pro dono do livro, o meu sobrinho mais velho que hoje tem 25 anos para que vá assistir.
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  6. Nossa! Nemeu posso descrever o quanto estou feliz! Valeria voce se tornou uma de minhas inpiraçoes,pois, seus desejos, sao parecidos com os meus.Sou Sua fã, e quero que esta peça percorra o Brasil e o mundo. Sou do Acre, e gostaria que essa peça chegasse ate aqui, porque o livro ja me conquistou. bjus

    ResponderExcluir
  7. Valeria estou muito contente e estarei na maior torcida para que a peça seja o maior sucesso.
    Farei de tudo para assistir.
    Vou postar no blog e no meu facebook
    bj grande

    ResponderExcluir
  8. Imensamente feliz com essa conquista! Uma pena não poder ir, mas torcerei muito para que a peça tenha o mesmo sucesso que o livro, um sucesso mega merecido!...

    Boa sorte a todos envolvidos nesse projeto!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Valéria! Acho que seus livros sao muito interessantes - e eu tenho uma pergunta por voce - Acredita que voce e uma ativista? Acho sobre isto porque eu sou um ativista tambem. Obrigado!

    ResponderExcluir
  10. Hola, me llamo Heidi, soy de Perú.. hace unos días llego a mis manos tu libro ¿Por qué a mi?, estoy por terminar de leerlo, aunq la verdad no quiero que se acabe, me falta sólo dos capitulos, en verdad es admirable tu historia, anoche lloré leyendo todo lo que has tenido que pasar y pensar que muchas personas estan pasando por lo mismo, gracias por contribuir con tu historia a que otras personas que tienen el VIH a luchar y otras como yo a valorar a esas personas por lo que son, sin prejuicios ni catalogarlos por tener esa enfermedad. Te felicito espero que estes en este mundo muchos años más y tambien espero comprar otro de tus libros, claro en español porq en portuguez no entiendo ni papa, Dios te bendiga Valeria y te siga dando muchos éxitos. Y espero que vengas a Perú y asi poder conocerte.

    Saludos,

    ResponderExcluir
  11. Uauuu, eu aqui pensando em reler o livro e me vem a peça agora?! Fiquei muito feliz e imagino como vc deve estar, aliás deve ser muito bom ter sua história no teatro.
    Espero que a peça tenha o mesmo impacto do livro e que faça um sucesso imenso.
    Irei acompanhar e se se não tiver data pra estreia aqui Campinas -SP vou pra Sampa assistir (:
    Paz e Morangos pra ti

    ResponderExcluir
  12. Aaaaaah!
    Queria que a peça viesse pra SC *-*

    ResponderExcluir
  13. VAL XD TE PUEDO LLAMAR ASI ? DEJAME DECIRTE QUE ERES UNA PERSONA MUY VALIENTE ; NO SE SI ESTE DEVERDAD SEA TU FACEBOOK PERO LEI TU LIBRO Y ME ENCANTO ESTO SIRVE PARA HACER CONCIENTIZAR A LAS PERSONAS DE COMO EVITAR ESTO DE COMO SE PUEDE LUCHAR EN LA VIDA DE COMO SER VALIENTE A PESAR DE LOS PROBLEMAS ERES UN GRAN EJEMPLO DE MUJER , ESPERO QUE TODO VALLA BIEN GRACIAS POR AVERME ENSEÑADO TANTO A TRAVEZ DE TUS LETRAS :: GRACIAS ESPERO QUE ME ENVIES ALGO DEVUELTA O ME DEJES ENTRAR A TU FACE... GRACIAS VAL__ FIGHTING¡¡

    ResponderExcluir
  14. Vou postar aqui o comentário que fiz para o meu blog - gostaria muito que você Valéria, lesse, por isso aqui posto também...

    "Olá blog, estou escrevendo esse post hoje no dia 18 de setembro de 2011, mas só irei postar assim que tiver acesso à internet, provavelmente amanhã no meu trabalho.
    Pois bem, não podia deixar para o momento que estivesse on line para escrever, poderia perder muito das coisas que gostaria ‘dizer’ nessa postagem.
    Bem, devem estar pensando, “do que se trata?”, “quando mistérios?”. Pois sim... Trata-se dos mistérios que norteiam a nossa existência, é compreender coisas que pela correria do dia a dia esquecemos que existem ou que tem um grande valor.
    Acabo de ler um livro, e como sempre, pelo menos pra mim, os livros dizem muito, ensinam muito e modificam muito a minha forma de ver e de sentir muitas coisas.
    Acabo de ler um livro que fala de dor, solidão e morte... Mas um livro que também mostra a Vida, a vida de uma jovem que contrariou os sentidos de sua vida e deu novas formas a sua existência.
    “Depois daquela viagem”, de Valéria Piassa Polizzi. Que lição... Que Vida... Que força... Em suas páginas, me emocionei, fiquei com raiva do seu jeito “turrão” muitas vezes (mas dizem que quando algo nos incomoda é que temos essa atitude em dobro na nossa personalidade)... Relembrei de passagens interessantes e as vezes aos meus olhos sem valor algum da minha vida...
    O amor das pessoas, como ser humano, o Amor sublime e incondicional que existe em nós... o respeito, a solidariedade, a fé, o carinho e a amizade... Que vontade de conhecer você e essas pessoas que passaram na sua vida, Valéria! Mas eu parei para pensar na minha vida... Eu não tenho AIDS, mas às vezes temos sentimentos tão mortais como uma doença (como a sua na época) que nos mata dia a dia... ‘Nos atormenta’ e nos deixa sem sentidos, sem raciocínio, sem atitude.
    A gente ouve tanto as pessoas falarem de “carpe diem”, mas realmente não consegue vivê-lo. A gente escuta tanto as pessoas falarem que a Vida é breve, mas não damos importância para as coisas simples que Ela nos mostra. Muitas vezes deixamos de sonhar, de planejar, de ousar, por medos... por insegurança... Deixamos muito de ter fé, de acreditar em algo que nos fortalece. Deixamos de amar as pessoas. Deixamos de nos amar. Por muiyo tempo eu passei sem olhar no especo e me ver também como eu sou, por culpa, por desespero, por não aceitar que as coisas simplesmente são assim, como devem ser... e que nem tudo depende realmente da minha vontade, do meu querer.
    Hoje eu estou numa época da minha vida eu que eu deveria me jogar de joelhos e só agradecer. Pela vida, pelas conquistas, pela saúde, pela família, pelos amigos, pelo emprego (resumindo, por tudo), mas eu insisto em encontrar os erros e deixar de lado os meus acertos. ‘Me cobrar’, me fazer frágil diante de tudo que só me fortalece. Seu livro não foi pra mim somente um “murro no estomago”, foi uma forma de mostrar que a minha vida tem muito mais sentido do que a minha força de ignorá-la. Me senti uma estúpida, uma tremenda idiota e não reconhecer como tudo é perfeito, e não depende somente só ângulo em que encaramos as coisas, é perfeito por que as coisas são como são... e não como gostaríamos que elas fossem.
    Obrigada Valéria (gostaria muito que você pudesse ler isso, onde quer que você esteja, já que pra você as distancias são meros acontecimentos)."

    ResponderExcluir
  15. Ola!!!.

    Acredito que já tenham te dito isso por mais de um milhão de vezes mas tenho que ser sincero em minhas palavras e fazer uso de uma tal que define o que sinto pelo seu trabalho: admiração.

    Admiro seus trabalhos bem como sua história de vida que nos leva a refletir e consequentemente a nos tornar pessoas melhores, mais humanas.

    Fico feliz pela adaptação para teatro do livro "depois daquela viagem". Moro no RN e gostaria de assistir a peça. Quem sabe em uma turnê pelo Brasil eu possa ter a chance de assistir o espetáculo né?

    Te admiro (mais uma vez) e te desejo muito sucesso, paz, saúde e amor.

    Um grande abraço.

    Tiago.

    ResponderExcluir
  16. Olá,meu nome é Gabrielle e estudo em uma escola pública em Angra dos Reis.Estou na 8ª serie,nono ano e quase todos os alunos fizeram um trabalho sobre seu livro'Depois daquela viagem',que gostamos muito.
    Na escola vai ter um festival literário.O nosso festival literário se chama FLINPE (Festival Literário da Nova Perequê-o nome da nossa escola)e a nossa turma é responsável pelo jornal.
    Gostaria de saber se você pode responder a três perguntas que seriam publicadas no nosso jornalzinho.

    MUITO OBRIGADA.
    UM BEIJO.

    ResponderExcluir
  17. Sim, Gabrielle, me deixe um e-mail que te escrevo.

    ResponderExcluir
  18. valeria meu nome é Delcilene sou sua fã aos meus 13 anos eu lí seu livro e o meu sonho era lhe conhecer eu moro em Rio Branco no Acre e continuo sendo sua fã eu tenho 17 anos hoje e sua história de vida nunca saiu da minha cabeça eu lhe amo muuito muito mesmo e espero que um dia vc venha ao Acre beijos

    ResponderExcluir
  19. Que notícia boa! Conheço bem o Dib, acompanho o crescimento dele, a Rosely, e sei do poder do teu livro. Estou na torcida pelo sucesso. Merda procês!

    ResponderExcluir
  20. Olá Valéria, meu nome é Gabrielle, estou cursando o 9º ano. Meu professor de Redação passou seu livro para nós lermos "Depois Daquela Viagem", gostei muiito mesmo, me identifiquei muito com o seu jeito de pensar, sabe eu acho esse mundo TÃO preconceituoso ... eu não tenho HIV mas gostaria de te agradecer por me amostrar o outra lado da doença !
    Obrigado por me amostrar que de alguma forma nós podemos mudar o mundo !

    Obrigado por tudo ! Gostaria de te conhecer um dia !



    OBS: Sabe eu fiquei com uma certa curiosidade, sabe você continua tendo contato com o Lucas, a Helen e a Alcaria(não sei como se escreve o nome) ?

    BEIJOS ...
    Gabrielle.

    ResponderExcluir
  21. Valéria, querida! Sou apaixonado pelo teu livro. Te desejo muito sucesso com a peça! E espero que venham se apresentar em Porto Alegre ou alguma outra cidade do RS. Um beijo e tudo de bom.

    ResponderExcluir
  22. Valééééria,
    Eu acabei de ler o seu livro ontem e me deu uma vontade de te abraçar! hehehe Amei cada capítulo, de verdade! Sou sua fã!!!
    Essa peça tem que rodar o Brasil inteiro!! Pra abrir a cabeça de muita gente como abriu a minha, só torço pra ela vir pra Porto Alegre e quando vier, serei a primeira da fila!!
    Você é um exemplo pra todos nós, de luta e perseverança. Muitos abraços e beijos,

    Luiza Medina

    ResponderExcluir
  23. Eu lembro tanto, tanto, tanto dos corujinhas!!!! Tanta saudade, ia (eu, minha irmã e meus primos, arrastando minha mãe) por todos os cantos onde eu sabia que haveria apresentação deles!!! Eu era criança, mas me soava como algo diferente, alternativo, provocativo de alguma forma!!!!! Obrigada por me ajudar a lembrar.....beijos!

    ResponderExcluir