5 de nov de 2009

Holocausto negro

Os olhos parecem prestes a sair do rosto. Vidrados, olhando sem ver.
A cabeça, maior que o corpo infantil e escuro, coberto de poeira.
Cotovelos e joelhos escapam para fora dos membros. A alma já é maior que a carcaça.
Uma mosca pousa em sua barriga. Não há ânimo para espantá-la.
Deixe-a, não encontrará migalhas para lambiscar.

2 comentários:

  1. Enquanto uns passam fomem, outros se tornam obesos. Que contraste!

    ResponderExcluir
  2. oi valeria não sei se vc verá o meu comentario mais vamos lá. meu nome é brenda e estou lendo seu livro gostei muito pois ele conta realmente o que vc passou. admiro muito sua história de vida. faço um curso no colegio batista mineiro(eja) a professora indecou o livro amei cada detalhe. vc podia vim aqui de surpresa mostrar a todas quem realmente vc é uma pessoa magica. quem sabe? hein... desejo td sorte de benção em sua vida q deus te guie vc merece.. pense no assunto direitinho, eu sei que é meio fora de mão mais pense vim aqui em MG BH no colegio batista mineiro rua salinas bairro floresta, tds iriam fc surpresos. meu orkut é brenda santana. bjos

    ResponderExcluir