11 de nov de 2009

Ida


As correntezas desse rio, eu conheço de cor.
Percorro esse caminho há não sei quantos anos. 

Cada movimento do barqueiro, cada mergulho do remo, cada detalhe da paisagem, dia após dia, deixam suas marcas em mim como a água entalha o casco do barco sob meus pés.
Meu destino não sou eu que escolho.






(No Areinho, Douro. 1880. Óleo sobre madeira do pintor português Silva Porto)

5 comentários:

  1. Valéria, adorei ter lido Depois daquela viagem e sou muito feliz por descobrir seu próprio quintal na internet,ou melhor,laboratório.
    Ler seu livro foi uma grande motivação para mim. Até por que divido com você a mesma patologia e sentimentos aparentados. Sua escrita solta e vibrante continua merecedora de todo o carinho conquistado.

    Sobre este texto excelente permita lançar uma sugestão: O "As..." logo acima parece deslocado do restante do texto e você poderia uni-lo abaixo da imagem aumentando o espaço entre a imagem e o início do texto.Assim como vou adorar ver intervenções de edição da sua parte no melhor estilo Arnaldo Antunes...

    Também tenho um blog (ainda em construção)com a única finalidade de mostrar todo tipo de criação artística relacionada ao tema hiv/aids. Isso inclui as resenhas e imagens de seus livros que pedi e anseio ver concedidas pela editora Ática e incluir no meu blog um link até o seu Meus Quipus.
    Ficarei honrado em divulgar seu trabalho.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Oi Valéria, publiquei em meu blog resenhas de seus livros: Depois daquela viagem e Enquanto estamos crescendo com links para as resenhas originais, bem como links para leitura de resenhas de Grandes Amigos - Pais e Filhos e Papo de garota (Todos com links para compra dos livros). Também incluí link para Meus Quipus. Caso não lhe agrade por favor entre em contato,nesse caso me perdoe mas simplesmente não pude resistir à vontade de ver uma autora incrível de fora de meu humilde espaço cibernético.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  3. Hola valeria. como verás solo hablo y escribo español, pues soy de México. y justo ayer termine de leer tu libro. y me dejo con una sensacion de nostalgia, que no podría explicar; me adentré tanto en la lectura que te sentí como parte de mi familia y quise saber más de ti por eso comence a buscarte por internet, solo para agradecerte por compartir tu vida con todos y por darme a conocer la vida de una persona con vih, desde otro aspecto que no sea meramente informativo. de verad me pareces una persona que vale la pena admirar. te mando un afectuoso abrazo.

    ResponderExcluir
  4. Hola, rocio

    ¡Muchas gracias por las palabras de cariño!
    Qué bueno que gustaste de mi libro ¿Por qué a mí?
    En enero de 2007 y febrero de 2008, estuve en México dando conferencias en escuelas y me encantó tu país.
    Abrazos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  5. Valéria eu amei o seu livro depois daquela viagem pois eu senti um momento da sua vida na minha mais eu gostaria muito se eu podesse me cominucar mais pessoalmente com vc sou uma menina de 15 anos e meu sonho é te conheer mais beijos de uma pessoa que te admira muito Ana Carolina

    ResponderExcluir