25 de ago de 2010

Um mestre com carinho

Nunca esqueço de um texto que li há muitos anos numa aula de inglês. Era a história de um menino, filho de imigrantes mexicanos, que tinha problemas em sua escola nos EUA. O garoto estava fadado ao insucesso, até o dia que uma certa professora  cruzou seu caminho. Ao invés de humilhá-lo perante a turma, ressaltando seus erros como as outras faziam, esta usou a simples tática de incluí-lo. Descobriu um jogo no qual ele era o melhor da turma, aumentando assim sua auto-estima.  Isso fez com que ele se interessasse pelas aulas e quisesse aprender. E só para concluir a história, o garoto tomou gosto pelos estudos, se tornou doutor em pedagogia e era ele mesmo quem assinava o tal texto.

Todos tivemos um professor que foi um divisor de águas em nossas vidas. Aquele que conheceu a fundo nossa individualidade, nos motivou, foi peça fundamental em nossa formação. Felizes daqueles que passaram por mais de um desse seres especiais. A arte de ensinar é para poucos. Mas é fácil reconhecer um genuíno mestre. Seus olhos brilham ao andar na frente do quadro-negro, falando e expondo seu conhecimento. Seu entusiasmo transborda, contagia os alunos, que se tornam esponjas querendo absorver tudo.

O verdadeiro educador, entretanto, vai mais longe. Ele sabe que não basta essa absorção. O aluno, além de absorver, tem de traduzir para si e em seguida reconstruir esse conhecimento com base em sua própria experiência. Ele deve conseguir fazer interligações, conexões, para assim encaixar o que aprendeu num contexto. Só então teremos certeza de que ele realmente apreendeu, tomou para si, assimilou. Caso contrário ele terá apenas decorado uma informação. E o objetivo é o de, justamente, dar um valor às informações, transformando-as em conhecimento.

O bom mestre é ainda um constante pesquisador e nunca se sente um absoluto detentor do conhecimento. Inclusive, leva sempre em conta a sapiência prévia de seus discípulos e está aberto a trocas de experiências. Valoriza o diálogo. Mais do que aquele que sabe, ele é o que modera, ajudando seus alunos a compreender o mundo a sua volta. Eu, felizmente, tive a sorte de estudar com alguns desses professores ao longo de minha jornada. E até agora, na pós-graduação, volto a ter esse privilégio.

16 comentários:

  1. Oi Valéria!
    É sempre bom ler seus textos. Há um tempo, assisti ao programa Ao ponto, de Jairo Bouer, e fiquei encantada com o seu modo de falar com a galera. Gostaria de saber se vc está dando palestras, pois meus alunos estão lendo seu livro e percebi q sao mt desinformados a respeito da Aids.Favor.
    Valéria eu também sou uma aluna da professora Cíntia e ela passou o programa do Jairo Bouer pra nós, e o paradidádico que estamos lendo é justamente o seu, "Depois daquela viagem", antes mesmo que começamos ler surgiu um grande debate entre a turma, sobre sua coragem de superar o HIV mesmo que não tem cura! Eu sou representante da minha turma e vim falar em nome de todos da minha sala e da 8ª série em geral, se você ainda estiver dando palestras, por favor vem nos ajudar a pasar a adolecência da melhor maneira !!! Tenha certeza que você ganhou muitos admiradores!
    Espero você no Colégio Cenecista Dr José Ferreira!!!:D

    ResponderExcluir
  2. Realmente... muitos professores passam por nossas vidas mas apenas alguns com o dom de ensinar. Estes ficam pra sempre na memória.

    ResponderExcluir
  3. Oi Valéria!!
    É sempre bom ler seus textos. Sou aluna da professora Cíntia e ela me mostrou sua participação no programa Ao ponto, de Jairo Bouer, também vi o depoimento que você deu na novela Viver a Vida e fiquei encantada com o seu modo de falar com a galera. Gostaria de saber se vc está dando palestras, pois já li seu livro duas vezes e seria muito bom ouvir vc falando sobre a Aids. "Váleria vem pro ZEZÃO!" - o colégio onde estudo( Colégio Cenecista Dr. José Ferreira...)
    Esperamos você!
    daninhalima44@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Pois bem Valéria, sou Natália tenho 13 anos e estou ao fim de ler o seu livro "Depois daquela viagem", um livro que foi recomendado pelo meu irmão, e que também é muito agradável. Adoro muito seu livro. Para lhe falar a verdade eu nunca gostei de ler, mais com o seu livro comecei a apreciar muito bem essa área livre - que é o que significa pra mim - para imaginar as cenas de uma tão longa história e interessante. Hoje mesmo, lendo a mais uma paginá de seu livro voltando da escola, no metrô, cai em choros quando lia a parte que você teve coragem de contar seu amigo suiço, Lucas que tinha AIDS, achei simplesmente linda a atitude dele e muito corajosa a sua atitude de revelar-lhe um segredo em que não havia contado para mais nenhum amigo. Bom, Valéria, seu livro e realmente muito bom, e às vezes imagino o que você estaria fazendo agora, e o que mais me surpriendeu foi quando o meu irmão disse que você ainda estava viva, e dava palestras por ai, falando da sua doença e da sua vida. Achei maravilhoso, para quem achava que não iria viver muito. Admiro sua coragem e disciplina Valéria, e estou empolgada para acabar de ler as últimas páginas, para saber o fim do livro ( e não da sua história ) porque você ainda está viva para viver, e repassar essa tão longa esperiência. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Minha professora mandou todos os alunos lerem este livro porque é lindo e passaria uma prova sobre ele.Terminei de ler hoje e fiquei muito emocionada com sua história,feliz por sua superação,às vezes pensava comigo mesma:"Como pode uma mulher desistir da vida assim tão fácil?",mais você me surpreendeu bastante com o rumo da sua vida.Acabei de ler o livro e vim pra internet saber mais de você,quando encontro o seu blog e a última atualização é um lindo texto que o professor Tim entregou em sala de aula quando você fazia o curso de inglês na Califórnia.Amei o seu trabalho e mais uma vez parabéns pela superação...
    Seja muito feliz e continue fazendo trabalhos maravilhosos como os que anda fazendo,alertando a todos sobre esses grandes perigos que a vida nos coloca...

    ResponderExcluir
  6. Não tenho a menor dúvida de que a educação carece de "encantadores".A competência de um bom professor é centrada em uma autoridade que se instala naturalmente a partir do momento em que esse profissional domina sua área de conhecimento, se mantém atualizado e sobretudo ama apaixonadamente seu ofício.
    Fico feliz em poder dizer que eu falo parte desse grupo e digo isso sem nenhuma pretensão.Digo apenas pq ao longo da vida recebi inúmeras manifestações carinhosas e de reconhecimento.
    Torço , assim como vc, que os alunos encontrem muitos mestres comprometidos em suas vidas.

    ResponderExcluir
  7. Oi Valéria meu nome é Aldinete Sales, sou estudante do curso de História, moro no Rio grande do Norte. De acordo com o contexto a qual fala sobre a importância dos professores posso dizer que esses docentes são seres iluminados e que com eles aprendemos não só o conhecimento de conteúdos, mas experiência de vida. Assim como você. Quero que saiba que sou uma de suas admiradoras, sua história é sinônimo de luta, de vitória. Muitas vezes ficamos tristes por motivos banais, deixamos de ter amigos e de ser feliz, com vc aprendi muito, o valor da amizade e a dádiva de viver. O fato de escrever poesia faz de mim uma pessoa extremamente sensível e após ler seu livro Depois daquela viagem percebi que a poesia não está nas coisas bonitas e sim no sentimento que aquela coisinha bonita vai nos causar!!! Te admiro muiiiiiiiiiiito. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Mariana Dal Molin Plotegher30 de ago de 2010 21:28:00

    Lembro desta história, do livro "Depois daquela viagem". Você deve estar cansada de ouvir elogios, de como você é um exemplo para todos e que seus livros são ótimos. Só quero agradecer, com a sua coragem de compartilhar a história da tua vida, você mudou meus conceitos e foi um exemplo para eu não desistir das coisas que eu tenho vontade de fazer. Você é uma guerreira. Carpem diem, sempre. Aprendi isso com você, MUITO obrigada.

    ResponderExcluir
  9. Acabei de ler seu livro 'depois daquela viagem', estou imensamente emocionada com o conteúdo e a pessoa valente que você é. Parabéns pela lição de vida dada com tanta delicadeza e inteligência. Agora sou sua leitora assídua. :)

    Te sigo! abraços.

    ResponderExcluir
  10. Valéria, em primeiro lugar, eu queria dizer q eu sinto uma simpatia muito grande por você, porque? não sei. talvez por causa da sua história de vida. Eu, Lucas, moro em Cariacica, ES. Depois que li o seu livro, fui procurar sobre você na internet. Fiquei muito contente por saber que você ainda é viva e dá palestras . Bom, então, fiz questão de criar um blog só pra isso, vim lhe pedir, já você ainda dá palestras, visite Cariacica, promova uma palestra no Colégio São Geraldo. Eu sou líder de sala da 8ª série, gostária muito de te conhecer pessoalmente e queria que você passasse um pouco de sua experiencia para nós adolescentes. Gostaría de poder falar com você por e-mail.
    Se puder mande um e-mail pra mim: lucas_k.k@hotmail.com

    Um grande abraço, Lucas. =)

    ResponderExcluir
  11. Acabei de terminar o teu livro "Depois daquela viagem", guuuuria ta na hora de vir pra Curitiba e fazer uma palestra pra nós haha, seria um prazer assistir a uma palestra sua, me apaixonei pelo seu livro, pela sua garra, pela sua força, pelo seu carinho. enfim hoje eu sei o que é Carpe Diem *-*

    ResponderExcluir
  12. Oi Valéria! Terminei de ler "Depois daquela viagem" antes de ontem, e confesso que me emocionei muito, assim que tive tempo de entrar na internet, logo joguei seu nome no Google, pra saber mais de você. Sua história é linda! Não sei se eu teria tanta força se passasse por isso!
    Quando você estava mal em 1994 eu tinha apenas um aninho de idade! Imagino o quanto foi difícil se tratar naquela época! cara me emocionei de verdade mesmo! Parabéns!!!!!!! Estou escrevendo um livro, e me identifiquei com seu depoimento após o término no livro dizendo que " Quando comecei a escrever só tinha um lápis, um caderno e vontade de explicar muitas coisas!" eu estou mais ou menos nessa situação!
    Estou seguindo seu blog!
    Um grande beijo!
    Ah! passa lá no meu humilde blog, se puder!
    Ficaria imensamente feliz em ver um comentário seu por lá! ;*

    ResponderExcluir
  13. Olá Valéria! Realmente um professor faz a diferença na vida dos alunos. Mas, quando atua desejando a inclusão sucesso de seus alunos ele também analisa a diferença que esta ação repercute em sua vida. Sou professora e aluna e sempre procuro fazer com que aqueles que aprendem comigo e me ensinam percebam o papel de um educador de fé em nossa sociedade.

    ResponderExcluir
  14. hola valeria soy de san luis argentina y estoy escribiendo un libro sobre el sida por lo que tuve que leer muchos libros sobre sida. el tuyo me gusto mucho saludos jorge sturino amatte.

    ResponderExcluir
  15. Oi val, sou tua fã desde que li "Depois daquela viagem" um livro escrito de forma muito bonita e suave. Depois comprava a revista Atrevida só pra ler os teus textos. Te admiro muito não só pela tua coragem, mas também pela tua determinação em crescer cada mais como pessoa e profissional. Que Deus te abençõe com um 2011 repleto de muita saúde, amor, paz, esperança e felicidades.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi Valéria, sou dos meninos que participou da entrevista na escola Deputada Conceição da Costa Neves, gostei muito e queria agradecer por ceder um pouco do seu tempo para tirar um pouco das nossas dúvidas.

    Obrigado!
    Rafael Carvalho Ogrim 8ªB

    ResponderExcluir