26 de abr de 2011

Maravilhas da nossa época


Aqui, da sala de minha casa na Áustria, acabo de conversar pelo Skype com a garotada da Escola Estadual Deputada Conceição da Costa Neves de Cotia -SP. Maravilhas da internet...


Eles me viam por uma imagem reproduzida na parede e eu os via pela tela do meu computador. E assim foi nosso papo sobre minha vivência com o hiv e a prevenção.


Cíntia, a professora de Leitura e Produção de Textos leu o "Depois daquela viagem" com eles e agora se disponibiliza a responder as perguntas sobre sexualidade da turma.


 Esse é o único espaço onde muitos adolescente têm para tirar suas dúvidas. Em casa, eles afirmam que não conversam com os pais sobre o assunto. E na escola, como em muitas outras, não há a disciplina de Educação Sexual.


Maravilha mesmo, é a garra desses professores - que apesar de não terem treinamento específico para isso - se disponibilizam a tratar do tema e não deixam a meninada sem resposta.


E haja garra para lidar com tantos hormônios em erupção!

17 comentários:

  1. Valéria,
    Tenho visto e ouvido muito acerca de trabalhos variados a partir da leitura de Depois daquela viagem.São projetos variados em escolas de diferentes classes sociais.Que bom que a escola esteja oferecendo esse espaço para a discussão do assunto.
    Depois de amanhã haverá a apresentação de um grupo de teatro abordando o assunto na escola em que trabalho aqui em Piracicaba.Meus alunos já leram o livro e realizarão seminários abordando diversos aspectos relacionados com o tema.
    Hoje mesmo, o professor de Geografia comentou comigo que no início do ano, discutindo sobre o IDH da África do sul e queda da expectativa de vida em função da AIDS, um aluno de 9º ano lhe perguntou se era possível haver contaminação através do aperto de mão.Preocupante, não?
    Em tempos de inúmeras possibilidades tecnológicas, um menino de classe alta ter dúvidas como essa no mínimo nos revela a quantas anda o diálogo.
    O importante é que haja pessoas se mobilizando e fazendo o possível para informar nossos jovens e impedindo que sejam vítimas da ignorância.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Haja garra mesmo. Estou abobalhada com seu blog. A virtual life tem desses agrados. Muita luz para você.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Valéria. Li seu livro a pouco tempo para um trabalho escolar e me encantei. Nunca vi uma história de superação tão comovente e emocionante. Sua vida me ensinou que podemos encarar muitos desafios sem desistir. Primeiramente, eu gostaria de parabenizar você por ser uma mulher tão corajosa e batalhadora, pois não cedeu ao HIV. E queria agradecer também pelo belíssimo livro que mostrou para muitas pessoas a superação, além de concientizar e mostrar que podemos vencer qualquer desafio que a vida nos propõe.
    Eu gostaria de te pedir um favor enorme e que me ajudaria bastante. Eu estudo no Instituto Nossa Senhora da Piedade, localizado em Ilhéus - Bahia (fim do mundo, eu sei) e eu estou fazendo um trabalho em grupo baseado em seu livro. E não envolve apenas língua portuguesa, como também biologia e matemática. Será um seminário complexo para adolescentes do ensino fundamental, onde será abordados AIDS, sexualidade e coisas do gênero. Se pudesse nos conceder a honra de uma entrevista via Skype, eu ficaria muito agradecida. Pois não será um aprendizado apenas para mim e sim para muitos adolescentes repletas de dúvidas e sem muito conhecimento sobre o assunto. Caso se interesse e possa me ajudar, me procure o mais rápido possível. Meu email é mallu_marinho@hotmail.com

    Agradeço desde já pela atenção,
    Mallu Marinho - 9º Ano

    ResponderExcluir
  4. Valéria, acabei de ler seu livro, e achei muito interessante conhecer a opnião de que tem o HIV. normalmente nós só vemos os diagnósticos dos médicos, e nunca a opnião dos portadores. Bem, eu gostaria de saber sobre você, que carreira decidiu seguir, se casou, continua vendo seus amigos? Teve filhos?

    Que Deus te abençoe muito, e que você tenha sempre amigos por perto, beijo!

    ResponderExcluir
  5. Valéria,
    Sou aluna do 9 ano e cabei de ler seu livro, ou melhor, sua obra. Muito do que você escreveu me serviu e me serve de lição e como um outro modo de ver a vida. Me desculpe se vou ser intrometida ou indiscreta, mas... O seu amigo Leca já leu seu livro? E seu amigo Lucas? Fico curiosa para saber como está Alrica, onde está o Doc Gust (que, confesso, me cativou só por você falar dele) e se ... Espero que você continue sendo a mulher forte e feliz que é, apesar de tudo. Não querendo ser puxa saco (mas sendo), o doc Gust tem razão... Espero que nunca tire esse sorriso do rosto, pois ele é lindo. Quando eu me tornar médica, quero ser que nem ele e o Dr. Anjo... Tomara que eu consiga!

    ResponderExcluir
  6. Valéria , sou estudando e a escola pediu para lermos o seu livro "depois daquela viagem " , confesso que no inicio não gostei muito da ideia mas depois que li olivro me apaixonei por ele e até diria que sou uma fã sua , vi seu ultimo post falando sobre o uso do skype e gostaria de ter a honra de conversar com você queria ouvir suas palavras não só as do livro, meu msn é : maarypdc@hotmail.com ' gostaria que entrasse em contato comigo ,obrigada e parabéns pelo seu trabalho .

    ResponderExcluir
  7. OI VALERIA....
    SEU LIVRO ME AJUDOU MUITO.....
    SER SOROPOSITIVO PARA MIM, DESDE QUE PEGUEI O RESULTADO NUCA FOI UMA SENTENÇA DE MORTE....
    É POSSÍVEL VIVER COM HIV+...
    SOU MUITO FELIZ...
    TUDO DE BOM...
    AMIGA, TODA VEZ QUE PENSO EM VOCÊ MEUS OLHOS BRILHAM...
    SUA HISTÓRIA ME EMOCIONA...
    VOCÊ É TUDO !!!!
    anjinho_theo@hotmail.com
    já tentei postar um comentário aqui e não consegui....
    Gostaria muito de ter esse depoimento aí...
    é como fazer um pouco parte de sua história...
    sucesso.

    ResponderExcluir
  8. Bacana demais você daí do Hemisfério Norte ainda se preocupando em responder questões dessa nossa meninada cheia de hormônios e dúvidas e sem muita gente que os ouça. Beijos paulistanos, minha doce flor.

    ResponderExcluir
  9. Querida Valéria,
    Que bom que temos a tecnologia a nosso favor. Essa entrevista significou muito para mim e meus alunos. Adorei as fotos que foram postadas. Incentivei meus alunos a postarem comentários, mas muitos não possuem internet em casa. Espero que os que têm façam comentários.
    Desejo a você tudo de bom e que eu e você possamos continuar sempre com garra e força para ajudarmos esses jovens que, apesar da tecnologia, estão um tanto quanto perdidos...
    Um forte abraço!!!
    Cintia

    ResponderExcluir
  10. Oie Valéria,Eu só uma aluna da Prof°Cintia,adorei poder vê você pela Internet,uma maneira nova.Gostei muito do seu Livro,adorei a Entrevista na Internet,espero que você também esteja gostado!

    Bjos e Abraços

    Tainá 8°A

    ResponderExcluir
  11. Querida Valéria! Mais uma vez escrevo neste espaço para dizer o quanto fico feliz em ver você contribuindo com a educação brasileira... Pois é os alunos não estão desmotivados, mas falta aos professores iniciativas como esta. Utilizar um recurso tecnológico para discutir temas atuais e porque não transversais como o sexo, prevenção de doenças na adolescência. Parabéns e continue sempre assim, mostrando que melhorar o ensino é possível quando o professor faz um planejamento relacionado à realidade dos seus alunos e que se empenha em aprofundar os assuntos, como foi com o seu livro, discutido com a própria autora. Que bom! Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Oie Valeria boa tarde,então adoramos sua entrevista, somos alunos da prof Cintia.Ainda bem que existe essa tecnologia prescisa para nos ajudar com a entrevista, foi muito legal da sua parte ter nos sedido a entrevista, espero que tenha gostado e que possamos repetir mais vezes.

    Beijos e Abraços.
    Maick e Edvaldo 8ºA

    ResponderExcluir
  13. Gabriela Carneiro6 de ago de 2011 19:14:00

    Valéria você é uma vencedora. Você é muito especial pra mim. Que Deus te ilumine sempre, fiquei emocionada com sua entrevista na novela viver a vida. Seu livro é maravilhoso, sou sua fã. Beijos Gabriela 16 anos

    ResponderExcluir
  14. Olá Valéria!
    Eu e minha colega somos estudantes de Psicologia da USP de Ribeirão Preto e, fazendo um trabalho sobre a AIDS e a mulher não pudemos deixar de lembrar da sua obra, tão inspiradora. O trabalho que estamos fazendo será apresentado em sala de aula e gostaríamos de saber se você tem interesse de participar, de alguma forma, de sua constituição, seja por um depoimento, por uma entrevista, ou por qualquer manifestação que lhe for mais interessante. O trabalho é sobre o Preconceito nas unidades de saúde. Gostaríamos muito de ter a oportunidade de de seu contato! Muito obrigada! Att Carmem Gil Coury

    ResponderExcluir
  15. Valéria meu nome é Agnaldo, tenho 46 anos, duas filhas adolescentes e acabei de lê o seu livro “Depois daquela viagem” , cujo o mesmo me levou a refletir qual anda o meu nível de comunicação (intimidade), com as minhas filhas?. Obrigado e um forte abraço.

    ResponderExcluir
  16. oi Valiria meu nome e guilherme tenho 18 anos tenho HIV a 18 anus e queria falar q quando eu descubrir eu naum queria me tratar queria era morrer mesmo mas graças a uma ong q se chama grupo vhiver eu pude descubrir coisas novas sabe minha mae tambem e soropositiva tenho dois irmaos q naum sao graças a Deus eu gostaria de deixar meus e-mails de contato
    facebook e msn guilhermehenriquesantos22@hotmail.com
    orkut guilhermehenrique741@hotmail.com
    gmail guilhermead2s2@gmail.com
    email guilherme@vhiver.org .com.br
    de menos o facebook e o orkut q naum estou todos os dias mas o resto mexo toda hora
    bjssss guilherme

    e boa sorte

    ResponderExcluir
  17. Oi, Valéria! Depois daquela viagem é um livro muitíssimo importante para todas as gerações. Parabéns pela iniciativa de tê-lo lançado!!!

    ResponderExcluir